Síndrome de Down – algumas informações

A SÍNDROME DE DOWN

A Síndrome de Down (SD) é um conjunto de expressões fenotípicas resultantes da trissomia do cromossomo 21. Este termo designa que a pessoa possui 3 e não 2 cromossomos no lócus 21, como seria previsto para a espécie humana que apresenta regularmente 23 pares de cromossomos. A síndrome de Down é um evento genético natural e universal, presente em todas as etnias e classes sociais que costuma aparecer na proporção de 1 criança com SD a cada 700 nascimentos.

DIA INTERNACIONAL

O dia 21 de março é reconhecido como o dia internacional da Síndrome de Down. A data foi escolhida como uma alusão aos 3 cromossomos 21 que as pessoas com a síndrome apresentam. Então, o dia 21 de março, 03.21 (como grafado em língua inglesa) ou 21.03 (em língua portuguesa), foi a data instituída pela Down Syndrom International (SDI), entidade que congrega associações de SD de todo o mundo com o objetivo de celebrar a vida das pessoas com síndrome de Down e chamar a atenção para a inclusão.

COR

As pessoas com SD também possuem uma cor de referência. Toda cor possui um número eletrônico e o código para a cor da SD é #321000 (3 e 21 de novo, viu? Nova alusão à trissomia do 21). Quer saber qual é essa cor? Visite http://www.color-hex.com/color/321000

Marinalva Oliveira

INCLUSÃO ACONTECENDO – AMPLIE ESTE EXEMPLO

Diversas atividades estão previstas para o ano de 2011 sob o tema “Inclusão acontecendo: amplie este exemplo“. Há uma campanha na mídia tendo como fundo a música Diversidade do Lenine (é o clipe que está acima, se ainda não o tocou, toque agora! Você vai adorar!). No Amapá há uma entrevista da TV Amapá que será veiculada no dia 21.03 com a professora Marinalva e Gabriel Oliveira. Gabriel, filho de Marinalva é uma criança com Síndrome de Down. Marinalva, coordenadora do Núcleo de Inclusão e Acessibilidade e do Núcleo de Educação e Cultura, é pesquisadora com interesse na construção de conhecimentos em crianças com síndrome de Down. A entrevista abordará a ação de Marinalva como pesquisadora e, óbvio, a relação mãe e filho.

Gabriel Oliveira

SER DIFERENTE É NORMAL

“Mostre de cara que você acredita. (…) Junte seu rosto a todos os que, além de acreditar, estão tomando atitudes para mudar a cara do mundo”. O Instituto MetaSocial, com esse slogan e o  objetivo de mostrar que “Ser diferente é normal” disponibiliza um site onde qualquer pessoa pode verificar como ficaria se tivesse a síndrome de Down. Diversas pessoas, incluindo artistas, já visitaram a página e incluíram suas fotos. Visite o site em http://www.serdiferenteenormal.org.br/?flashhttp://www.serdiferenteenormal.org.br

Outros textos que tratam da síndrome de Down ou de inclusão:

5 comentários sobre “Síndrome de Down – algumas informações

  1. Muito bom… Gostei… E particularmente sou fascinada por movimentos de inclusao social, principalmente daqueles de durante tempos foram alvos de desprezo social. Mas é inadmissivel que em uma sociedade como a nossa… Possa haver ainda a falta de compreensão humanitária. Na verdade não existem mais ”limitações” fisicas e intelectuais de pessoas que possuem algum tipo de deficiencia por exemplo, como um caso que me chama muita atencao, os surdos. Mas infelizmente ainda ha pessoas deficientes de sensibilidade, empatia e emocionalmente…
    No caso da SD, eu conheço uma pessoa que eu nunca vi igual mesmo, e tratamos carinhosamente por Zequinha, dono de um imenso carinho, dono de uma imensa disposiçao, e totalmente cheio de autonomia… Ele trabalha na mesma loja que eu, e em nosso ambiente de trabalho, nos adaptamos as suas necessidades, eu pessoalmente, amo receber um beijo, carinhoso e sem maldade sempre q ele esta em nosso setor. Zequinha é realmente amado por todos a quem ele cativa.
    Sinto que em nosso estado movimentos como esse não receba o reconhecimento e divulgação necessária, fico chateada por que a real riqueza das intenções sociais, nunca tem o destaque que deveriam ter.

    • Erika, ainda há muito que se fazer para que a inclusão ocorra. O que não podemos aceitar é a lógica de que a inclusão é só para eles entrarem em contato com os outros ou apenas para sorrir. Incluir é permitir que todos tenham acesso aos instrumentos sociais disponíveis em um determinado tempo e espaço. Isso não é fácil, mas a luta constante trará maravilhosos frutos.

  2. Laurineia Trindade disse:

    Sou fascinda por Educação Especia em particular Sindrome de Down e Deficiente Auditivo. Participei do Cngresso que houve na UNIFAP em 2012 , foi muito interessante e gostaria de saber se este ano de 2013 vai haver outro Congresso, cm faço p ficar informada sobre os congressos ou seminários?

  3. Fazendo Justiça disse:

    “As pessoas com SD também possuem uma cor de referência. Toda cor possui um número eletrônico e o código para a cor da SD é #321000”
    Esta cor fazendo alusão à trissomia 21, foi proposta pelo Administrador, Supervisor de Segurança do Trabalho, Agente de Menores do poder judiciário, pesquisador e inventor
    Gaston Schwabacher

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s