Não categorizado

Passo inicial

Prezado acadêmico,
você está iniciando a disciplina Teorias e Sistemas em Psicologia III – Behaviorismo do curso de Psicologia da UFF, campus de Volta Redonda. A disciplina está organizada em uma metodologia diferente daquela que você normalmente encontra na universidade. Portanto, leia com atenção oPasso Inaugural (próxima atividade) para compreender como a disciplina será conduzida.
Nesta disciplina, as atividades são centradas na leitura do material por parte dos acadêmicos, discussões com o orientador e monitora no horário previsto para a disciplina, bem como avaliações sucessivas denominadas passos. Essa estrutura é baseada no Sistema Personalizado de Ensino cuja fundamentação teórica remonta ao Behaviorismo. Aproveite as ferramentas disponibilizadas no sistema e busque o máximo de informações com o professor e a monitora.
Atente para o fato de que a disciplina está em permanente mudança e, portanto, faça sugestões sempre que possível em quaisquer materiais ou métodos utilizados. Sua contribuição auxiliará na modificação da disciplina para sua própria turma ou para turmas vindouras.
Esperamos que a experiência com o Behaviorismo e o Sistema Personalizado de Ensino seja prazerosa e instrutiva.
Grande abraço,
Arley Costa (Professor)
Raphaela Celli (Monitora)

 

 

TEORIAS E SISTEMAS EM PSICOLOGIA III – BEHAVIORISMO

COMEÇANDO
Seja bem-vindo! Você está começando uma disciplina da matriz curricular do curso de Psicologia do ICHS-UFF sob a orientação do professor Arley Costa. Estaremos juntos ao longo do semestre para discutir a Filosofia da Ciência chamada Comportamentalismo (oriundo do termo inglês Behaviorism, às vezes aportuguesado para Behaviorismo) e a abordagem dela derivada, a Análise do Comportamento. O curso está estruturado no Sistema Personalizado de Ensino e será disponibilizado para você através da plataforma Moodle do ICHS-UFF e presencialmente nos horários previstos para as aulas.
A disciplina não tem a finalidade de torná-lo um comportamentalista, mas de fornecer as bases de compreensão desta área da ciência psicológica e de alguns de seus princípios básicos. Esperamos que ao final do curso, você seja capaz de enxergar que os princípios da Análise do Comportamento estão em todos os locais da existência humana, bem como aplicá-los com propriedade. Para começar a ter uma ideia sobre o Behaviorismo no dia a dia, inclusive nos relacionamento entre casais, leia o texto Como treinar o seu marido (namorado) e Quais medos você está ensinando ao seu filho?.
Além disso, o curso pretende ser um espaço para explorar e partilhar experiências e conhecimentos sobre o Behaviorismo entre os acadêmicos, colegas, pares, professor e monitores. Esforçamo-nos para fazer com que nossa participação e a estrutura do curso orientem você ao longo do conhecimento do Behaviorismo e da Análise do Comportamento.
COMO INICIAR
1. Conheça seus instrutores
É um grande prazer para o professor e a monitora da disciplina, respectivamente Arley Costa e  Raphaela Celli, desejarem boas vindas a você que irá cursar a disciplina Behaviorismo nesse semestre. Você pode saber um pouco mais sobre nós ao visitar a página Conhecendo os instrutores. Estamos trabalhando duro para que este curso torne sua experiência de aprendizagem o mais agradável, edificante e eficiente possível, de forma que você possa visualizar e utilizar o Behaviorismo em sua prática futura.
2. Conheça a estrutura virtual do curso
É sempre uma ótima ideia conhecer os ambientes que você frequenta, inclusive no mundo da aprendizagem virtual. Se esta for sua primeira experiência em um ambiente de aprendizagem virtual como o Moodle, que estamos utilizando, dirija sua atenção para nossas orientações sobre o ambiente (AINDA NÃO DISPONÍVEL – inserir vídeo), bem como às páginas Descrição do Curso e FAQ (AINDA NÃO DISPONÍVEL – criar).
3. Entenda como se engajar no curso
Baseada no Sistema Personalizado de Ensino, essa disciplina permite que você siga em seu ritmo próprio sem ter que se adequar ao ritmo da turma ou ao determinado pelo professor. Você pode planejar suas leituras e atividades no momento em que achar mais conveniente e organizar seu tempo de acordo com sua própria programação. As avaliações de cada passo, entretanto, serão realizadas em sala de aula ou no momento e local determinado pela monitora. Apesar disso, o momento da disciplina em que você realizará cada passo é determinado pelo seu ritmo, desde que não extrapole a extensão de tempo prevista no calendário deste semestre pela UFF. Lembre que cada avaliação de passo pode ser realizada  apenas uma vez por dia, em caso de não aprovação, a realização de nova avaliação deverá aguardar até a aula seguinte.
4. Diga olá!
A leitura dos materiais e a visualização dos vídeos não são as únicas formas de se envolver com a disciplina. Você pode entrar em nosso Grupo do Facebook (AINDA NÃO DISPONÍVEL – criar) para manter contato com os instrutores e os outros acadêmicos da disciplina ou tuítar sobre a disciplina usando as hashtags XXXX (AINDA NÃO DISPONÍVEL – criar).Os Fóruns de Discussão estarão disponíveis para efetivar o contato entre os acadêmicos e contribuir com as discussões do programa da disciplina.

 

Esse semestre a disciplina funciona com um professor e uma monitora, respectivamente Arley Costa e Raphaela Celli.
ARLEY COSTA
Arley Costa

Professor Associado I do curso de Psicologia da Universidade Federal Fluminense, campus de Volta Redonda. Trabalha preferencialmente com as disciplinas Teorias e Sistemas em Psicologia III – Behaviorismo (VPS 00030), Processos de Aprendizagem e Memória (VPS 00023) e Metodologia de Pesquisa Aplicada à Psicologia I (VPS 00002).
Coordena o grupo de estudos em Comportamento Verbal. As reuniões do grupo ocorrem na sala 312 do bloco A todas as quintas às 14:00h.
Contatos:
Sala 312 do bloco A (UFF/PUVR)
RAPHAELA CELLI
Raphaela Celli

Acadêmica do curso de Psicologia da UFF de Volta Redonda desde o 2º semestre de 2012 e monitora de Psicologia Geral e Experimental desde o 1º semestre de 2014.

TEORIAS E SISTEMAS PSICOLÓGICOS III – BEHAVIORISMO

PASSO INAUGURAL: Sistema Personalizado de Ensino

Objetivos:

  • Identificar as características do Sistema Personalizado de Ensino (SPE);

  • Explicitar o sentido das características do SPE;

  • Descrever as mudanças no papel do professor com o uso do SPE;

  • Descrever a importância da liberação do feedback no menor intervalo temporal;

  • Explicar o mecanismo de avaliação dos passos.

O Sistema Personalizado de Ensino (SPE) é uma metodologia de ensino baseada nos pressupostos da Análise do Comportamento (AC), abordagem psicológica da filosofia da ciência do comportamento denominada comportamentalismo1. O SPE, criado pelo americano Fred Keller e utilizado pela primeira vez em 1964 na Universidade de Brasília (UNB), oferece condições efetivas para que o estudante ponha em prática processos cognitivos como analisar, sintetizar, comparar e generalizar. Os resultados obtidos com o SPE, em termos de aprendizagem, são sistematicamente melhores, ou pelo menos iguais, aos obtidos com o sistema tradicional de ensino. A eficácia foi confirmada em disciplinas das mais variadas áreas como psicologia, português, história, física e engenharia. Os resultados são tão positivos que, no texto Adeus, mestre!2, Keller defende a mudança do atual modelo de ensino e uma reconfiguração significativa do papel do professor.

A AC busca entender o comportamento observando e identificando as variáveis relevantes para, em seguida, arranjar as contingências de reforçamento que farão o comportamento mudar. Partindo desse princípio, Skinner, o mais importante teórico do comportamentalismo, afirma que “(…) precisamos encontrar práticas que permitam a todos os professores ensinar bem e a todos alunos aprender tão eficientemente quanto seus talentos permitirem”. O SPE parte desse princípio e possui cinco características principais: domínio sequencial do conteúdo, ênfase na palavra escrita; ritmo próprio; papel indispensável do tutor; e aulas e demonstrações como veículo de motivação (Todorov, Moreira, & Martone, 2009)

Domínio sequencial do conteúdo. O conteúdo a ser aprendido está dividido em pequenas unidades denominadas passos. Os passos serão realizados sequencialmente. O avanço para a unidade seguinte ocorre apenas quando o discente domina o conteúdo do passo sob estudo. Exigir o domínio do conteúdo significa requerer 100% de acerto nas avaliações, isso resulta em impactos positivos na aprendizagem dos alunos e reduz a possibilidade do aluno ter dificuldade em conteúdos futuros por problemas de aprendizagem em conteúdos anteriores relacionados.

Ênfase na palavra escrita. O conteúdo e instruções referentes à disciplina estarão disponíveis ao aluno na forma de textos que podem ser acessados no momento considerado conveniente. Os recursos tecnológicos atuais disponíveis, como computadores e internet, serão utilizados como apoio à realização da disciplina. Todo o material disponibilizado deve ser lido e os alunos devem buscar o professor e o tutor para ampliar sua compreensão do assunto e dirimir dúvidas.

Ritmo próprio. Em função do método, cada aluno avança em seu ritmo próprio. Isso significa que um aluno pode estar no passo 5, enquanto outro ainda está no passo 1. A progressão ocorre na medida em que cada aluno, ao sentir-se preparado, realiza os passos e, sendo aprovado, avança.

Papel indispensável do tutor. A disciplina funciona com tutores ou monitores auxiliando o professor, em razão do elevado volume de contato direto para esclarecer os assuntos aos acadêmicos ou corrigir avaliações e prover feedback. Dúvidas no conteúdo e a avaliação dos passos podem ser realizadas com o monitor que, assim como o professor, providenciará feedback imediato. O monitor é um acadêmico do curso que concluiu a disciplina em um período anterior e foi selecionado mediante concurso. Após concluir a disciplina, se for de seu interesse, você poderá candidatar-se à monitoria.

Aulas e demonstrações como veículo de motivação. As aulas tem papel fortemente motivacional, considerando que as informações pertinentes à disciplina estão disponibilizadas no material fornecido.

Em razão das características do SPE, o papel do professor no sistema é algo diferente do usual. Em vez de realizar palestras em todo o horário da aula, o professor programa a disciplina, prepara e modifica o material de ensino de forma a aprimorar constantemente o curso, treina e supervisiona a atuação dos monitores e, principalmente, acompanha o desenvolvimento do aluno. Os efeitos do SPE são sentidos também no desempenho do estudante que é significativamente melhorado quando há autorregulação do comportamento acadêmico. Assim, o aluno deve ter a habilidade de reconhecer a necessidade de apoio, buscar recursos complementares (realizar leituras de apoio indicadas no material ou não) e identificar oportunidades para avaliar sua própria compreensão.

O fornecimento de feedback o mais próximo possível da emissão da resposta é central à lógica do PSE, pois quanto mais próximo da avaliação for realizado o feedback, melhor a aprendizagem e a retenção do conteúdo estudado. O reforçamento diferencial contingente à resposta permite respeitar o conhecimento inicial de cada acadêmico e tornar o processo de aprendizagem mais efetivo e menos aversivo.

Obedecendo a essa lógica, o mecanismo de avaliação dos passos no SPE aproxima a realização da avaliação do passo e a emissão do feedback pelo professor ou tutor. O aluno estuda um passo de cada vez e o material de cada passo será entregue ao estudante na medida em que ele concluir o passo imediatamente anterior. Em razão do domínio seqüencial do conteúdo, o acadêmico deve estudar o passo em que se encontra, bem como buscar informações complementares disponíveis, sugeridos ou não pelo professor, e solicitar a realização da avaliação do passo quando se considerar preparado. A aprovação em um passo implica no recebimento do material do passo imediatamente subseqüente e o acadêmico pode solicitar nova avaliação a partir da aula seguinte. Caso não seja aprovado, o aluno não pode requerer nova avaliação do passo no mesmo dia, nesse caso recomenda-se que utilize o tempo em sala para efetivar leituras e retirar suas dúvidas com o professor ou o tutor.

Caso erre duas ou mais questões, o aluno será informado de seus erros e receberá a sugestão de voltar a estudar o material escrito e retirar dúvidas em outro momento. Caso erre uma questão, o monitor ou o professor fará uma discussão sobre o aspecto teórico pertinente a questão. O acerto nas questões do passo não implica em aprovação, pois o professor ou monitor fará ainda uma questão verbal e, em caso de acerto, o acadêmico progredirá para o próximo passo. A falha em uma avaliação não é um acontecimento necessariamente ruim no sistema da disciplina. A avaliação do passo é vista no SPE como um momento de interação com o professor ou o tutor e, portanto, parte do mecanismo de aprendizagem.

A diferença de ritmos, em razão da velocidade com que cada um progride nos passos, não deve ser considerada motivo para que o acadêmico sinta-se forçado a avançar sem estar devidamente preparado3. Caso o aluno não atinja os critérios especificados para ser aprovado ao se submeter à realização de um passo, ele poderá refazer a avaliação quantas vezes forem necessárias sem que haja qualquer implicação sobre as notas.

A procrastinação, adiamento em realizar as atividades, por parte dos alunos pode configurar-se como um dos problemas do método. Nesse sentido, recomenda-se aos alunos que não concentrem as atividades da disciplina no final do período, pois a sobreposição com as demandas de outras disciplinas e a necessidade de avançar um passo por dia podem tornar impeditivas o alcance dos objetivos educacionais.

Dadas as características e a efetividade do PSE, a metodologia tem sido empregada de forma central ou complementar em cursos com formatação digital como na educação à distância. Vários trabalhos publicados mostram superioridade do SPE em relação aos métodos de ensino tradicionais, pois de modo geral, os alunos aprendem mais, lembram por mais tempo e gostam mais da experiência acadêmica vivenciada. Esperamos que os mesmos resultados sejam vivenciados por você. Boa disciplina!

Sugestão de leituras

Keller. 1999. Adeus, Mestre! Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 1(1):9-21.

Todorov; Moreira; Martone. 2009. Sistema Personalizado de Ensino, educação à distância e aprendizagem centrada no aluno. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25(3): 289-296.

1 Oriundo do termo inglês behaviorism e, em alguns casos, aportuguesado para behaviorismo.

3 Caso decida-se por avançar, intensifique o ritmo de leituras e contate o professor e os monitores para retirar dúvidas até estar preparado para a realização das atividades. Não realize atividades com dúvidas, pois isso poderá resultar em permanência no passo.

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s