Não categorizado

Pesquisa e ensino: efeito bidirecional

A universidade é baseada no tripé ensino, pesquisa e extensão. Todo aluno universitário já ouviu essa expressão, inclusive muitos pensam que ela é simplesmente um bordão. Entretanto, para aqueles que estão acostumados com a lógica de universidade humboldtiana, a interação entre esses elementos é considerada importante para construir e difundir conhecimento. Exatamente por isso, estes criticam o modelo de ensino que o governo federal vem implementando para as instituições federais de ensino superior brasileiro que desmonta o conjunto das universidades transformando-as em escolões que não têm pesquisa. Esta só ocorreria naquelas universidades que fossem consideradas centros de excelência.

Na medida em que o modelo do governo federal, lastreado em medidas defendidas por mecanismos internacionais como o Banco Mundial,  vai sendo implementado, destrói-se a interação defendida por Humboldt.  Uma pesquisa recente mostra que a lógica humboldtiana está correta e que, portanto, devemos caminhar na direção oposta aquela implementada pelo governo. Aqueles que quiserem conhecer mais sobre o assunto podem ler a reportagem que trata do tema com o título “Ensino em dia, pesquisa madura“, cujo subtítulo afirma: “Estudo conduzido nos Estados Unidos mostra que estudante que também ensina desenvolve boas habilidades para gerar hipóteses e realizar experimentos”.

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s